Machado & Miranda - Odontologia - (27) 3029-0503 - Vitória - Espírito Santo

Tratamentos

 

 


Periodontia - Saúde da Gengiva - Laser


sorriso preto e brancoMuitas vezes relacionamos a ida ao consultório com a dor nos dentes, cáries e estética e acabamos nos esquecendo da saúde gengival.

A Periodontia ou periodontologia (peri: em volta de, Odonto: dente) é a ciência que estuda e trata as doenças do sistema de implantação e suporte dos dentes. (gengiva, ligamento periodontal e osso alveolar)

Este aparelho é formado por osso alveolar, ligamento periodontal e cemento.

periodontite saude x doença

As alterações e doenças periodontais mais comuns são:

  • Placa bacteriana / Tártaro,
  • Gengivite e Periodontite.

Tais alterações podem gerar graves consequencias ao organismo como perdas ósseas e perda de tecido gengiva. Nestes casos é necessário intervenções como:

  • Enxertos gengivais;
  • Enxertos ósseos.

Condições sistêmicas e hábitos deletérios podem favorecer o aparecimento da doença periodontal.

  • Diabetes
  • Tabagismo (fumo)

Atualmente percebe-se uma relação da doença periodontal com artrite reumatóide, doenças renais, diabétes, e osteoporose.

Doenças como infarto agudo do miocárdio, partos prematuros, infecções pulmonares, AVC e úlceras também têm sido associados à periodontite.

 

A inflamação contínua do periodonto (gengivite/periodontite) e da presença direta de colônias de bactérias que habitam este tecido gengival.

A inflamação contínua da gengiva e os tecidos circundantes (gengivite/periodontite) gera uma vasodilatação (aumento do calibre dos vasos sanguíneos) tornando a membrana destes vasos mais permeáveis.

Como a presença de bactérias é alto, a probabilidade de que estas bactérias proliferarem para o periodonto (periodontite) e entrem na corrente sanguínea também é alto.

periodontite e infartoUma vez na corrente sanguínea, estas bactérias oriundas da boca podem:

  • Aumentar o risco de AVC;
  • Aumentar o risco de infarto
  • Gerar endocardite infecciosa;
  • Aumentar a probabilidade arteroesclerose

Segundo orientação da American Heart Association, 1997, pacientes com alto risco de doença aterosclerótica devem se submeter a um exame periodontal completo.

Pacientes com doença periodontal devem ter uma história médica bem detalhada, que avalie as condições sistêmicas, medicamentos, fatores de risco para aterosclerose e condições relacionadas com a doença cardíaca e AVC.

 
avc e periodontiaO tratamento de pacientes com doença periodontal e doença aterosclerótica preexistente, com AVC, IAM (Infarto Agudo do Miocárdio) não-fatal e aterosclerose em geral, deve receber um trabalho coordenado dos profissionais da saúde para assegurar que o mesmo está sendo tratado adequadamente, considerando-se a parte médica e dental e as complicações.

A associação destas doenças é de grande valor na prática odontológica. Por isso, é apropriado enfatizar ao paciente que a melhora na condição bucal promove, não só a manutenção dos dentes, mas também reduz o risco de doenças cardíacas.

O cirurgião-dentista, especialmente o periodontista, deve ser conhecedor das evidentes relações entre doença periodontal e cardiopatias.

Deste modo, é possível estabelecer um contato com o cardiologista de forma científica , oferecendo assim possibilidades de prevenção e tratamento mais eficazes para os pacientes.

 

Placa Bacteriana / Tártaro

O tártaro é uma formação do depósito de placas bacterianas que ao reagirem quimicamente com o cálcio da saliva formam uma camada dura sobre os dentes.

Tal camada não é removida facilmente pela escovação diária dos dentes, sendo necessário a intervenção do cirurgião-dentista para sua remoção.

raspagem tártaroEsta remoção pode ser manual através de raspagem com uso de uma cureta, contudo o uso de ultrassom e jato de bicarbonato é possui maior eficiência e eficácia.

O uso correto do fio dental e da escova pode prevenir o aparecimento de tal doença.

Aparelhos complementares da higiene bucal com jatos de água (Water Pik) podem favorecer a higienização e consequentemente evitar o aparecimento da placa bacteriana.

saude bucal comprometidasaude periodontal pós higienizaçãohigienização prevenção

 

Gengivite/Periodontite

A falta de higienização adequada também pode comprometer a saúde da gengiva.

O principal sinal de inflamação é muito fácil de ser observado: o sangramento gengival na hora da escovação, fio dental e até mesmo durante o sono.

A inflamação que começou na gengiva (gengivite) começa a agredir o osso (periodontite), e este “foge”, ele reabsorve, e não volta mais.

As consequencias comuns são a menor estrutura de suporte para o dente que tende a ter mais mobilidade, e uma mudança significativa de nosso sistema de defesa do organismo.

Um dos primeiros sintomas de que ela está com algum problema é a presença de inchaços, cor avermelhada e sangramento durante a escovação.

Se a gengivite não for tratada, a infecção pode se "espalhar" e comprometer a estrutura que sustenta os dentes. Isto permite que a placa bacteriana se mova em direção às raízes, às fibras de sustentação e ao osso.

periodontite avançada

Fique atento a alguns sinais das Doenças Periodontais:

  • Sangramento gengival;
  • Mau hálito persistente (halitose);
  • Gengivas vermelhas, inchadas e sensíveis;
  • Gengivas que se afastam dos dentes (retração)
  • Pus entre a gengiva e o dente;
  • Alteração no formato gengival;
  • Freqüentemente indolor (assintomático);
  • Mobilidade dentária.

        

Fatores múltiplos que podem afetar a saúde de suas gengivas:

  • ·O uso do tabaco aumenta o risco de desenvolvimento de doença periodontal comprometendo o fluxo sanguíneo, salivar e as defesas naturais da gengiva afetando negativamente o tratamento.
  • As mudanças hormonais durante a gravidez, puberdade e menopausa podem causar a vermelhidão das gengivas, amolecimento e facilidade de sangramento, quando associado à placa bacteriana. 
  • A genética e o histórico familiar de doenças periodontais indicam uma possibilidademaior de que estas doenças possam vir a se desenvolver.
  • O estresse pode dificultar a eliminação de infecções, incluindo as doenças periodontais.
  • Alguns medicamentos como os contraceptivos orais, antidepressivos e certos remédios para o coração podem afetar a saúde bucal quando associado à placa bacteriana.
  • Hábitos destrutivos como técnica inadequada de higiene dental, piercing bucal, ou abuso de drogas e álcool, podem afetar a saúde periodontal. 
  • Uma nutrição pobre pode reduzir a defesa do corpo contra as infecções.
  • Doenças sistêmicas que interferem com o sistema imunológico do corpo podem piorar a condição das gengivas e do osso de suporte.
  • Diabetes

medicamentosstressgestantefumo e periodontitepiercing bucal

 

Enxertos Gengivais.

As alterações gengivais mais comuns são as retrações gengivais, alterações de papilas, perdas de altura e espessura, e perda de tecidos moles em volta dos implantes.

Para alguns destes casos, o método mais indicado é a cirurgia plástica periodontal. 

As cirurgias periodontais visam a correção dos defeitos gengivais e tecidos moles nas regiões que apresentam algum tipo de comprometimento estético, principalmente quando é perceptível a raiz do dente ao sorrir ou conversar.

Em outros casos, eles podem servir para raízes que apresentam sensibilidade às oscilações do tempo.

 

   

     

 

diabetes 2Diabetes e Doença Periodontal

A relação entre a doença periodontal e a diabetes pode ser relacionada e infuenciada por fatores como o controle glicêmico, duração da doença, cuidados com a saúde bucal, susceptibilidade à doença periodontal e hábitos, como por exemplo o de fumar.

Atualmente, na Periodontia, é cientificamente apontado que a doença periodontal está ligada ao controle metabólico de modo bidirecional, ou seja, influenciando e sofrendo influência da diabetes.

Infecções periodontais podem, como qualquer outro tipo de infecção, dificultar o controle da glicemia do paciente diabético, devido ao fato de que uma infecção aguda pode predispor à resistência à insulina, desencadeando um estado de hiperglicemia crônica.

Diversas evidências científicas têm apontado que a presença do bioifilme bacteriano no diabético provoca uma inflamação gengival mais acentuada do que o faria em um paciente não diabético.

diabetesTambém há evidências científicas apontando que indivíduos com controle glicêmico deficiente podem apresentar doenças mais graves nos tecidos periodontais e perdas mais rápidas do que as pessoas com bom controle metabólico.

Embora nem toda inflamação gengival evolua para doença periodontal destrutiva, o desequilíbrio no metabolismo glicêmico cria um ambiente favorável para a atuação do biofilme já existente, o que predispõe os indivíduos diabéticos jovens à situação de maior risco de desenvolver a doença periodontal na idade adulta.

 

Fumo e a Doença Periodontal

parar de fumarO fumo é considerado um dos principais fatores de risco para a doença periodontal. 

Além de aumentar sua severidade e incidência, também influencia negativamente o tratamento.

O tabagismo diminui o ganho gengival após a terapia periodontal e promove piores resultados nas cirurgias de recobrimento radicular.

Tratamentos de terapia periodontal não são contra-indicados em fumantes, entretanto deve-se entenderas limitações em relação aos resultados finais esperados.

O ideal é o abandono deste hábito nocivo.

 

escovação sorriso

prevenção

A prevenção e a correta higiene bucal cooperam para a manutenção do dente.

A substituição por implante ocorre somente em casos onde a Periodontia não oferece mais vantagens na relação custo e benefícios ao paciente.

 

 

machado miranda logoAv. Américo Buaiz, 501 - Ed. Victoria Office Tower - Torre Leste   
Enseada do Suá               Vitória - ES                
cep: 29.050-911  
55 27 3029 0503          
contato@machadomiranda.com.br 
                                                                           CRO-GO EPAO 771

 


Voltar ao início do texto
Mais Tratamentos